em

Entidades brasileiras denunciam a órgãos internacionais perseguição contra Glenn Greenwald

Instituto Vladimir Herzog, Repórteres sem Fronteiras e Artigo 19 enviam documentos à ONU e à OEA atentando para o perigo das restrições à liberdade de imprensa em curso no Brasil

Jornalista Glenn Greenwald durante depoimento na CCJ do senado (Foto Lula Marques)
Jornalista Glenn Greenwald durante depoimento na CCJ do senado (Foto: Lula Marques)

O Instituto Vladimir Herzog, a Repórteres sem Fronteiras e a Artigo 19 enviaram à Organização das Nações Unidas (ONU) e à Organização dos Estados Americanos (OEA) uma denúncia da perseguição do Ministério Público Federal (MPF) ao jornalista Glenn Greenwald.

Para a ONU, um documento foi encaminhado a David Kaye, relator especial sobre Liberdade de Expressão. Já para a OEA, foi solicitada uma medida cautelar a fim de garantir a proteção e o direito à liberdade de expressão ao jornalista.

No dia 21 de janeiro, o MPF denunciou Glenn Greenwald pelos crimes de associação criminosa e interceptação telefônica, contrariando a Polícia Federal que, ao investigar o caso, não encontrou qualquer indício do envolvimento do jornalista. Como se não bastasse, a acusação ignora a Constituição Brasileira, que assegura a liberdade de imprensa, e despreza a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que Greenwald não fosse mais investigado.

Nos documentos enviados à ONU e à OEA, as entidades apontam que a ofensiva do MPF representa uma clara tentativa de intimidação contra Glenn Greenwald e o site The Intercept Brasil, que desde o ano passado têm publicado uma série de reportagens que revelam gravíssimas irregularidades cometidas durante a operação conhecida como Lava Jato, da Polícia Federal.

As entidades ainda atentam para o perigo das restrições à liberdade de imprensa que vêm sendo impostas no Brasil, principalmente quando elas partem de autoridades constituídas. No caso do Ministério Público Federal, uma instituição criada para zelar pela legalidade e pelos interesses da sociedade, é incompreensível a decisão de denunciar um jornalista que nada mais fez do que exercer o seu ofício.

Com a denúncia, é esperado que tanto a ONU quanto a OEA cobrem, oficialmente, explicações do Estado brasileiro sobre a perseguição em curso contra Glenn Greenwald e toda a equipe do site “The Intercept; “.

*Com informações do Instituto Vladimir Herozg

Adamy Gianinni

Jornalista, blogueiro, fotógrafo, universitário, flamenguista de ❤ e escritor iniciante.
Saiba mais: https://adamy.blog/um-pouco-de-mim/

PUBLICIDADE
*Os comentários não representam a opinião do blogue, a responsabilidade é do autor da mensagem. Antes de comentar, leia os Termos e Condições de Uso.

Deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Denúncia contra Glenn Greenwald afronta à liberdade de imprensa

Ilustração (Foto: Pixabay)

Sociedade doente, alienada e preconceituosa